Sedução

Ao amante de poesia

(Nome),

quando você me disse gostar de poesia eu quase não acreditei. Afinal, você com esse jeito tão austero, de fisionomia quase sempre impenetrável, não me parecia ter esse perfil tão sensível, desculpe o preconceito. Mas, depois, lembrei-me do Drummond: é verdade, ele também tinha mais cara de burocrata do que de poeta.
Olha, peço-lhe desculpas novamente pela maneira como eu olhava para você, mas juro que depois dessa revelação passei a vê-lo com outros olhos.
Gostaria, se você concordar, de almoçar um dia contigo, de discutir poesia brasileira, especialmente da Semana de 22 para cá. Os meus prediletos são os poetas da Geração de 45 (Drummond, Vinícius, Péricles da Silva Ramos etc), embora eu tenha bom conhecimento da poesia contemporânea e seja fã incondicional da Hilda Hilst.
Estarei pronta para tal conversa, de acordo com a sua conveniência. Terei muito prazer em trocar impressões sobre um assunto tão virtuoso quanto este. Quem sabe se durante a conversa você não me dá a oportunidade de descobrir que, além de sensível, vocé é também uma pessoa romântica.

Até breve,
(assinatura)