Amor com Humor

Pra sortuda que sempre ganha no Bingo

Môr, óia só, môr meu... Cê sabe que eu fico contente demais da conta di ocê ir no bingo e ganhá uns trocado quase todo dia pra mó di pagá o aluguer e umas cachaça pr´eu.
Ocê sabe que eu fico todo orgüioso de vê ocê saindo sempre cherosa e perfumada, bunita de fazê inveja pras madame tudo, pra` quelas feiosa véia qui num tem a sorte e a buniteza que ocê tem.
Ocê sabe qui eu fico todo preocupado di sabê qui ocê vai vortá pra casa sastifeita e com a borsinha e o sutiã cheinho de dinhero, porque esse mundão é mesmo cheio de hôme safado e vagabundo, tudo uns cachorrão qui num presta e qui num vale as lata de lixo que vira. No fundo, môr, só quero que ocê fique de zóio aberto pra mó di si protegê desses vira-lata sem-vergonha, porque a grana que ocê ganha e traiz pra casa pode fazê uma farta danada se algum gatuno botar a mão nela.
Mõr, ocê pode inté dizê qui eu sô preocupado além da conta e qui tão pondo um monte de coisa na minha cabeça, mais não é bem assim porque no fundo, bem no fundo, tudo o que eu preciso pra ficá feliz e manso é que ocê cuide muito bem da sua cartela.

Beijão procê,
(assinatura)

P.S.: Muié, vê só como esse povo é mau: já vieram me dizê que esse tar de bingo se chama gringo, e que tem cabelo loiro, zóio azur e 1,90m de artura. Vê se tem cabimento, benhê...