Amizade

Um futuro de Paz... e Amor

Querido(a) Amigo(a),

de repente o mundo ameaça desmoronar, e todas as mazelas possíveis se abatem sobre nossas indefesas cabeças. Nossos corações, já atormentados diante da injustiça e da crueldade diária, batem ainda mais assustados e, sem querer, começamos a imaginar a que ponto pode chegar a vileza humana, a que ponto o fanatismo e a ganância podem levar à destruição de vidas, de famílias, de esperanças...
Quando as torres monumentais do World Trade Center desabaram, o entulho da maldade nos atingiu de forma tão violenta que empoeirou os nossos corações e, de nossos olhos cansados de tanta injustiça, brotaram lágrimas pesadas como o concreto e abrasivas como o fogo.
Que bom seria se pudéssemos congelar as guerras, interromper os vôos das balas e dos projéteis antes que eles tocassem os corações das pessoas. Que bom seria se as guerras terminassem como naquela história infantil escrita pelo Maurice Druon, na qual Tistu, "O Menino do Dedo Verde", tinha a capacidade de, com um simples toque, tranformar os belicosos canhões em máquinas lançadoras de flores!
Olha, sei que atualmente pode parecer utópico acreditar naquela canção do John Lennon e nos ensinamentos de Mahatma Ghandi, mas "imagine" que cada um de nós pode fazer a sua parte!
Pense que em cada uma de nossas atitudes diárias podemos estar contribuindo para um mundo melhor. Acredite que cada gesto mais humano e menos egoísta que fizermos no dia a dia poderá redundar em atitudes semelhantes e, assim, então, poderemos exigir que nossos líderes e governantes olhem e dêem mais importância ao homem e menos para o vil metal... e menos ainda para o sórdido poder.
Acho que neste momento de profunda tristeza e luto, a primeira atitude que devemos tomar, junto às pessoas que gostamos, é lembrá-las do quanto somos frágeis, e de que só seremos mais fortes se contarmos com a solidariedade e com o amor do outro. Não poderemos jamais permitir que o terrorismo, o horror e a iniqüidade prevaleçam sobre a humanidade e o amor.
Conto com você, e tenho a sincera esperança de que juntos venceremos o mal e a incerteza para fazermos e vivermos um mundo melhor.

Paz e um abraço do(a),
(assinatura)