Sedução

Amor platônico I

(nome),

talvez você ainda não tenha notado, mas há alguém que te observa de longe - há muito tempo - e gosta muito de você. Por acaso (ou não!) este alguém sou eu.
Vejo você passar, observo seus gestos e tento descobrir na sua voz (quando consigo ouvi-la), um sinal que permita alguma aproximação maior de mim em relação a você. Você mexe com meu corpo e com meu espírito, me fascina e encanta, mas não sei por que me dá a impressão de estar envolta por uma redoma invisível que me impede de chegar até você.
Talvez seja este tal estado de encantamento em que eu me encontro (que muitas vezes ouso tomar como amor), o que está me fazendo tão tímido e receoso de arriscar um contato mais efetivo. Na verdade, tenho quase certeza de que se trata de amor, embora à distância, platônico, pois acho que não seria capaz de suportar qualquer sinal de rejeição.
De qualquer maneira, gostaria de reafirmar que gosto muito de você e que vou continuar a observá-la, sempre com a esperança de que em um momento qualquer você se distraia e note a minha existência ou, quem sabe, num instante de profunda iluminação, minha alma ganhe força para que eu me apresente e declare este sentimento que me tem feito sofrer a doce e longínqüa esperança de um dia ser correspondido.
Você é muito bela, e meu desejo é que seja sempre muito feliz.
Aceite um beijo deste seu admirador anônimo.